26 de set de 2012

Um século de eleições


Lindo esse vídeo mostrando os padrões de votação nos EUA de 2011 a 1912, retroativamente. Azul é democrata, vermelho, republicano. Quanto mais escura a cor, maior a votação. Nos anos 30 e 60 é impressionante como os democratas pintaram de celeste o mapa americano. A vingança republicana veio a partir dos 80, passando pelos anos 2000 do nada saudoso George W. Bush.


Falando em votos e distribuição, estou lendo o ótimo "Os Sentidos do Lulismo", de André Singer, professor da USP e porta-voz do governo Lula. Ainda vou fazer um texto sobre o livro, mas vale a pena saber que Singer identifica uma mudança na base eleitoral de Lula entre 2002 e 2006, um movimento que cria as condições para a chegada de Dilma ao poder e marca essa nossa era da "classe C".


Baseando-se em muitos dados, o cientista político mostra que, na verdade, quem garante a prevalência do lulismo em nível nacional é quem ele chama de "subproletariado", um contingente ansioso por entrar no jogo do consumo e do trabalho. Essa base política dá o grande respiro que o PT tem hoje no Norte e Nordeste do País. Esses são os votos que dão a soberania a Lula.

Seria muito legal se alguém fizesse um videomapa como esse, só que no Brasil, mesmo que nossos partidos tenham mudado tanto no século 20. Eu candidato o professor Singer para esse projeto, já que é um especialista (entre outras coisas) em comportamento eleitoral.

Nenhum comentário: