6 de jun de 2011

Monkees na mira do FBI


Achei no Dangerous Minds um relatório do FBI que mostra que até mesmo os mais coxinhas são capazes de transcender sua condição de salgadinho macio. Os Monkees (saiba mais), a primeira boy band montada por produtores a conquistar as ondas de rádio e televisão do mundo, têm um arquivo no FBI. Pasmem.

Para minha supresa, eles não eram agentes infiltrados. São chamados de "jovens que se vestem como 'beatniks'", que passam "mensagens subliminares de esquerda" no telão de seu show. As tais mensagens são imagens de revoltas em Berkeley (na Califórnia, meca da esquerda americana dos anos 60 e 70), mensagens anti-Guerra do Vietnã. e de "revoltas raciais em Selma, no Alabama". Mais interessante é a observação de que esse "conteúdo" foi recebido de maneira "desfavorável pelo público".

Segundo o relatório, a investigação foi de 26/3/1967 a 21/6 do mesmo ano. Ou seja, os caras passaram quase três meses atrás dos Monkees. Não sei se era paranoia desnecessária ou se eles eram realmente subversivos. Algo difícil de imaginar para uma banda que era o Restart dos anos 60. Ou talvez ainda haja esperança para o Restart, que pode acabar virando um Clash coxinha, quem sabe?

Nenhum comentário: