3 de nov de 2010

Andy Irons e a lição de jornalismo

Ontem morreu o tricampeão mundial de surf Andy Irons, 32. Parece que foi de dengue, enquanto ele tentava voltar para sua casa no Havaí, depois de abandonar a etapa porto-riquenha do World Tour depois de se sentir mal. Muito triste.

Eu entrevistei o Andy Irons neste ano, quando estava cobrindo o WT em Imbituba (SC). Na verdade, eu não fui para informar os resultados da etapa, mas para fazer perguntas mais frias para os surfistas participantes. Isso funcionou bem até a hora em que a competição começou para valer.

Bastante desligado do que estava acontecendo, eu ficava na área de imprensa tentando conversar com as estrelas do surf logo depois de suas baterias e havia conseguido passar ileso até que Andy Irons saiu do mar e foi até a "área mista".

Ele havia acabado de perder sua bateria e eu não sabia. Embalado pelo que já tinha dado certo até aquele momento, gritei seu nome e o chamei para falar ao microfone da Trip. Comecei o papo com a pior pergunta possível naquele momento: "Como você acha que foi na sua bateria?". A resposta, óbvia e justa, foi: "Como eu fui? Como você acha? Muito mal". Virou as costas, foi embora e deixou a mim e aos outros doze repórteres que esperavam para falar com ele na mão.

Ainda recebi um tapinha nas costas de um colega mais experiente na área que disse que ele era "assim mesmo". Fiquei com vergonha. Pô, deixei um dos maiores surfistas do circuito puto da vida comigo e ainda fiquei sem a sonora.

Mais tarde consegui a entrevista. Andy me olhou com desconfiança, mas falou comigo mesmo assim. Deu um tchau meio sem-graça, mas se eu houvesse algum dia cogitado ser amigo dele, as chances já tinham ido pelos ares de qualquer maneira. No vídeo abaixo ele é o primeiro a falar:



Aprendi duas coisas nesse dia. Um: a pauta pode ser fria, mas os eventos são sempre quentes, independentemente de você. Dois: os outros surfistas foram muito tolerantes comigo. Eu devo ter sido um pé no saco dos competidores daquele WT.

Vá em paz, Andy Irons. E obrigado pela lição de jornalismo.

Nenhum comentário: