21 de dez de 2010

Pior que tá, fica

Quem se lembra do movimento Cansei? Aquele grupo de pessoas apartidárias, sem interesses particulares que se "revoltou" contra a sujeira do política e não durou mais do que alguns suspiros e spots comerciais espertinhos? Bom, parece que João Dória Jr. está fazendo escola nos EUA.

We believe hyper-partisanship is destroying our politics and paralyzing our ability to govern.

O movimento No Labels parece querer pegar carona na desilusão causada pelo governo Obama e agrupar pessoas de todos os cantinhos do espectro político americano. Sim, porque Obama não fez a revolução dos sonhos nem conseguiu magicamente fazer desaparecer os rombos deixados por George W. Bush (a lembrança do Lula de 2005 não é mera coincidência).

We must put our labels aside, and put the issues and what’s best for the nation first.

Tudo lindo até aí, a coisa complica quando você dá uma rápida zapeada pelo site deles e lê alguns dos princípios de ação. Fiquei assustado com a ideia de que, para o No Labels, existem coisas que são claramente "melhores" para os EUA (ou seja, existem as "piores") e que todos devem buscar isso. Esqueça seu partido seu democrata quase comunista. Ei você, caipira sulista que acredita no creacionismo, deixe essa bobagem de lado e olhe para a verdade. Ou seja: o movimento mata a política, porque não admite perspectivas diferentes para o que eles julgam sábio. Agora, meus amigos, o que é esse "certo"? Quem disse que ele é óbvio?

Americans deserve a government that makes the necessary choices to rein in runaway deficits, secure Social Security and Medicare, and put our country on a viable, sound path going forward.Americans support a government that works to spur employment and economic opportunity by encouraging free and open markets, tempered by sensible regulation.

Qualquer tentativa de dizer que "um" caminho é o melhor, o certo, o único, deve ser olhada com desconfiança. Política é conflito e necessita dele para existir. Não confundir com violência, com anomia e falta de regras. As visões políticas tem de existir e sempre existirão muitas delas. A não, claro, que alguém imponha a sua sobre todos e crie sanções para quem divergir. Mas isso é outra história.

Vai lá (se tiver coragem): http://nolabels.org/

Nenhum comentário: